quarta-feira, 9 de novembro de 2011

Resumo da vida


Eu costumo dizer por aí que meu último LO é sempre o mais bonito. Parece que toda carga emocional está pulsando inteira por ali. Então resolvi escrever logo como estão sendo essas minhas férias, melhores da última eternidade!
Posso não ser organizada em vários sentidos na vida, mas gosto de planejar desejos. Aprendi que não se deve criar lá grandes expectativas, mas devo ansiá-los a viver. E é isso que tenho feito ultimamente: vivendo com coragem como manda o coração, como eu costuma fazer. Foi assim, resolvi alcançar a felicidade, que nem estava tão distante de mim.


Esse resgate de me encontrar começou com o show do Eric Clapton! Um cara que quando vi, eu sabia e queria ter um guitarrista só pra mim! (Eis que namoro um há 10 anos e que se inspira no Clapton no modo de tocar! Uma postura limpa e elegante! Abafa!). 
Fui na primeira vez que o Clapton esteve no Brasil. Foi meu primeiro show de rock. Diziam que seria a última turnê da carreira dele. Eu não acreditei muito, e foi um inesquecível show.
Nesse segundo, fui com o Cacito. Imagina a emoção de ver ídolo dele! Ele ficou com aquela cara de bobo uns bons dias! Para um cara que toca guitarra, ver seu mestre, só para corações fortes.
Assim, começaram minhas férias!

 Não deu muito tempo pra comemorar e eu já estava lá, enfrentando a fila da Mostra Internacional de Cinema de SP pra comprar meu pacote de 20 filmes. Esse ano que vai ficar marcado pela morte do seu fundador, Leon Cakoff.
Fazia uns dois anos que não ia Mostra. Vou desde da 23ª, e um desses anos eu consegui coincidir férias e maratona. Por sorte, esse ano deu certo. Minhas férias nem eram pra ser em outubro/novembro.

 O que é mais lembro de quando eu participava da Mostra era que que não comia direito, porque era um filme atrás do outro. Uns 3 filmes por dia. Gente bacana que acabava conversando na fila e trocando ideias de filmes legais e horrendos que tínhamos vistos. Mas o que mais lembro era da sensação que certos filmes me davam quando saía do cinema.
Cada um com a sua peculariedade. Tinha filmes que eu sentia uma angústia tão triste que eu ainda chegava na outra sessão e ainda estava com lágrimas rolando. Outros me deram esperança e despertava uma vontade de abraçar a primeira pessoa que visse só pra dizer obrigada.


Tudo isso não se perdeu com intervalo de tempo que não fui nas últimas Mostras. Estavam lá e eu as peguei de um jeito que jamais deixaria ir embora novamente. Entre um filme e outro, comecei o projeto que será um dos maiores sonhos que vou realizar. E tudo está caminhado para dar certo. Conheço gente que levou 2, 3 horas para tirar o passaporte. Não levei menos de meia hora. Só pode ser coisas dos deuses!


Quando a Mostra acabou, emendei uma viagem pra Recife com um único objetivo: conhecer uma pessoa chamada Marcela.
 Se existe uma maravilha que o scrap trouxe para mim, essa coisa é a amizade que fiz com gente querida. E infelizmente elas moram longe de mim. Mas felizmente elas morar em lugares lindos que o prazer é duplamente recompensado.
Parece que o amor era tanto que todo mundo achava que ela era minha irmã, parente ou coisa parecida. Desculpa, meu tenho essa tal magia! Hahahahaha!!! Não é a primeira vez que acontece isso!
E tudo o que o scrap me dá, eu dou de volta.
 Se um dia eu ousar em esquecer o que é felicidade, é só eu olhar para aquelas milhares de fotos de Recife pra eu ficar bem rapidinho!

 Cheguei no sábado e no domingo já tinha show pra ir. É, gente, ainda aguento o tranco. Não tô tão veia assim!!
  A primeira fez que vi eu tava com a perna engessada e era mais ou menos essa época do ano. Fazia um calor desgraçado e eu de gesso. Um tédio total! Eis que escuto aquela Mmmbop e queria quebrar a outra perna de tanto que "tentava" dançar. Meu par era as muletas. Fina, eu!
  Nunca vi tanta mulher gritando!! Tinha momentos que ficava insuportável! Quase não escutava eles cantando! Mas eles tocaram Madaleine, umas minhas favs!
 Eles são uma simpatia sem tamanho! Conversando com o público, vozes lindas ecoando (quando dava pra ouvir), som tinindo!

 E muito além de Save me e Mmmbop, tá aí uma música que sacode qualquer esqueleto.
Uma música pode ser o suficiente para eu continuar vivendo. Dela, eu tiro ensinamento que um amigo não pode me dar ou não consegue enteder. As repostas estão em qualquer lugar, basta sentir para vivê-las.
Mas as férias nem acabaram! Tem o Ringo aí!
Depois volto pra contar mais!
Beijo!

Um comentário:

Raissa Costa disse...

Afff que post lindo!
Saudades sua linda!

Pin It button on image hover