segunda-feira, 31 de dezembro de 2012

Adeus ano velho


Pessoalmente, esse 2012 não foi um ano legal. Muitas coisas que foram planejadas, foram adiadas. Sim, pode ter realmente uma razão desconhecida nisso, mas foi um ano sofrido. Pelo menos em algum momento a morte passou a ser uma vizinha bem próxima. 

(Lift daqui.)
Dizem que Deus só dá(oportunidades, doenças, tragédias) para aqueles que aguentam, que são fortes. Bom, acho que fui testada. Se fui aprovada, só Ele pode falar. O que eu tinha certeza, não era tão certo assim e eu tive que reavaliar meus sentimentos e minhas relações com as pessoas e com as minhas paixões.


Durante 5 meses desse ano meus desejos dependeram dos desejos de outras pessoas. 
Mas muitas vezes, eu andava debaixo da solidão, que era sinônimo de uma lágrima dolorida. Nesses intervalos entre o vazio e o oco, sobrou só a personalidade que eu abandonei um dia, mas que nunca desapareceu porque sempre fez parte de mim.


Então eu percebi do que eu era feita: da inspiração que buscava na poesia dos livros, do embalo de uma música, da saudade de uma fotografia, da comunicação visual entre os verdadeiros amigos, da energia de estar no estádio vendo o Corinthians jogar.


É disso que sou feita e não posso jamais esconder isso novamente. Não importa se trabalhamos demais ou porque amamos demais. Porque mesmo o amor quando é demais, atrapalha. Eu só preciso ser sincera comigo mesma e aceitar quem eu sou.


Claro que nessa jornada eu ainda vou crescer muito. Tenho muita bagagem reservada para encher com as surpresas, com pessoas interessantes que vou conhecer e de tudo de maravilhoso que eu tenho a oferecer para o novo ano que vem chegando. 


É exatamente como diz esse poema do Drummond:


"Para você ganhar belíssimo Ano Novo
cor de arco-íris, ou da cor da sua paz,
Ano Novo sem comparação como todo o tempo já vivido
(mal vivido ou talvez sem sentido)


para você ganhar um ano
não apenas pintado de novo, remendado às carreiras,
mas novo nas sementinhas do vir-a-ser,
novo até no coração das coisas menos percebidas
(a começar pelo seu interior)


novo espontâneo, que de tão perfeito nem se nota,
mas com ele se come, se passeia,
se ama, se compreende, se trabalha,
você não precisa beber champanha ou qualquer outra birita,
não precisa expedir nem receber mensagens
(planta recebe mensagens?
passa telegramas?).


Não precisa fazer lista de boas intenções
para arquivá-las na gaveta.


Não precisa chorar de arrependido
pelas besteiras consumadas
nem parvamente acreditar
que por decreto da esperança


a partir de janeiro as coisas mudem
e seja tudo claridade, recompensa,
justiça entre os homens e as nações,
liberdade com cheiro e gosto de pão matinal,
direitos respeitados, começando
pelo direito augusto de viver.


Para ganhar um ano-novo
que mereça este nome,
você, meu caro, tem de merecê-lo,
tem de fazê-lo de novo, eu sei que não é fácil,
mas tente, experimente, consciente.


É dentro de você que o Ano Novo
cochila e espera desde sempre."
(Receita de Ano Novo, de Carlos Drummond de Andrade)


Sempre que precisei de alguma resposta, eu lia um livro, ouvia uma música ou via um filme.


E por incrível que pareça a resposta estava lá. Às vezes, não era tão evidente assim, mas é tudo uma questão de percepção.


Por várias razões eu deixei de fazer isso com menos frequência. Mas os 5 meses parada, não deu muitas alternativas e eu voltei para a sabedoria que estavam nas letras, nos sons e imagens.


O poema do Drummond comprova como a minha teoria esteve sempre certa, como o alumbramento de um único momento é o suficiente para ser o motivo da vida.


Essa é a última vez que choro esse ano, até porque ele tem horas para acabar. 2012 me consumiu, mas me purificou para viver o que eu mereço em 2013.


Por isso, não abandone aquilo que ajudou a ser o que você é. Essencialmente.


Geralmente é o seu porto seguro.


Mesmo que os outros não compreendam.


E até riam.


Isso que faz de você uma pessoa única.


Difícil de copiar.


Venha 2013! Você e eu teremos 365 dias pra ser feliz!


Feliz Ano Novo!

2 comentários:

Ana Paula disse...

Olá, Regiane!

2012 não foi um ano muito bom para mim também... passei por muita coisa que espero não aconteça novamente esse ano... Mas a vida é assim. Tem hora que passamos por situações difíceis, que nos testam... Não é fácil, mas depois tudo Sempre Melhora! E sempre tiramos uma lição, um aprendizado, que levaremos conosco.

Que esse ano seja recheado de coisas boas para você! Muita saúde, fé, amor, carinho... Enfim, tudo de bom!

Feliz 2013 para todas nós!!!
Bjos

Rosemere Cordeiro disse...

Regiane,

E que 2013 venha com muito mais alegrias, sonhos novos e muito mais leveza e criatividade!

bJOS!

Pin It button on image hover